A rede de franchising Century 21 Ibéria foi convidada pelo Ministério da Indústria, Turismo e Comércio espanhol a participar numa mesa redonda organizada pela Asociación Española de Franquiciadores (AEF) e integrada no programa de actividades que decorreu em Madrid, no âmbito da Cimeira do Clima COP 25. Ricardo Sousa, CEO da Century21 Ibéria, destacou a importância da eficiência habitacional enquanto fator chave na promoção da sustentabilidade ambiental.

Os edifícios são responsáveis pela extração de cerca de 50% de todos os recursos naturais, cerca de 25 % do consumo de água e por cerca de 40 % do consumo total de energia. Em média, originam cerca de um terço das emissões globais de gases de efeito estufa e um terço de todos os resíduos gerados, o que torna o setor dos edifícios o maior poluente da União Europeia. De acordo com os dados da ONU, em 2050 dois terços da população mundial viverão em cidades.

O imobiliário é um sector determinante na economia e a sua actividade impacta directamente a qualidade de vida dos cidadãos, e define o planeamento urbano de bairros, vilas e cidades. No contexto da Economia Circular e dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável, é imperativo impulsionar uma mudança de paradigma para a evolução sustentável das cidades.

Esta visão deve ser transversal a todas as fases da cadeia de valor do sector imobiliário, desde o planeamento urbano, a seleção sustentável do terreno, o método de construção, a eficiência ambiental do imóvel, os consumos responsáveis de recursos naturais e a manutenção da casa, até ao processo de demolição.

Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Ibéria, considera: ” É necessário procurar formas de crescimento que consolidem a actividade imobiliária, contudo, a sustentabilidade ambiental, a eficiência e a inovação serão os pilares do novo paradigma para repensar as cidades. A marca Century 21 assume, desde sempre, um compromisso com o desenvolvimento sustentável e tem vindo a incrementar um papel de sensibilização junto dos consumidores, investidores e construtores”.

No parque imobiliário português, 63% dos edifícios foram construídos após 1970 e cerca de 45% dos imóveis nacionais têm mais de 30 anos. Em Portugal, um milhão de edifícios necessita de intervenção, o que significa que não se ajustam aos níveis de eficiência adequados.

Como referiu Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Ibéria, “as habitações têm um papel determinante na sustentabilidade ambiental. Sensibilizar a população para um consumo mais responsável de água, energia, gás são aspectos muito importantes para aumentar a eficiência ambiental”.

Para minimizar o impacto ambiental das habitações, e a par de estimular padrões de comportamento de consumo responsável, também devem ser adoptadas medidas para economizar água e eletricidade, como a instalação de sensores de movimento e sistemas de irrigação mais eficientes para a área do jardim e reutilização de águas residuais. As novas casas devem ser mais eficientes, em termos energéticos, e as habitações actuais devem melhorar a sua eficiência, através de medidas de reabilitação energética.

As exigências dos novos consumidores

No momento de selecionar uma casa, os critérios de procura de habitação estão a mudar. As exigências dos consumidores estão cada vez mais alinhadas com o aumento da consciência ambiental, como constatam, diariamente, as equipas da Century 21 que estão em contacto permanente com os clientes.

Uma das questões mais sensíveis é a preocupação com a sustentabilidade energética da habitação. Regista-se uma tendência crescente de procura por casas onde a tecnologia permite alcançar níveis superiores de eficiência. Para além de os novos proprietários valorizarem contas de serviços mais controladas, consideram que os critérios ambientais são uma condição significativa na compra de uma casa.

O desenvolvimento da domótica residencial, através da Internet Of Things (IoT) aplicada ao sector imobiliário é outro elemento indicado no âmbito das mudanças dos critérios de procura.  A domótica permite controlar automatismos de ligar e desligar luz, ou regular a temperatura ambiente, entre muitas outras operações, e contribui, em grande parte, para gerir com maior eficiência os recursos e satisfazer a actual procura do consumidor.

O aumento da consciência ambiental regista-se especialmente no segmento mais jovem da população, como se constatou na segunda edição do Observatório da Habitação, um estudo nacional realizado pela Century 21 Portugal que analisou as motivações, necessidades, expectativas e possibilidades dos jovens, entre os 18 e os 34 anos, relativamente à habitação. As conclusões do estudo demonstram que a eficiência energética é um dos critérios mais valorizados pelos jovens na procura de habitação, imediatamente seguido pela sustentabilidade ambiental da habitação.

O debate organizado pela AEF destacou que o conceito de franchising, em cada sector de operação, está a contribuir para o desenvolvimento sustentável dos seus negócios. As marcas integradas na AEF que participaram no evento foram a Century 21 Ibéria, El Elefante Azul, D-Uñas, Fersay, McDonald’s e Nacex.

Saiba como abrir um franchising Century 21 e juntar-se à rede.