Desde que vigorou o Estado de Emergência, 19 de março, até ao fim da segunda fase do plano de desconfinamento, 31 de maio, a rede de franchising RE/MAX atingiu 827,5 milhões de euros (M€) de volume de preços, que resultam de 10.769 transações imobiliárias (arrendamento e compra/venda), 4.769 de imóveis vendidos. Num mercado que dá sinais de abrandamento devido ao contexto de pandemia, a RE/MAX antecipa uma recuperação do mercado. Em convergência com ciclos anteriores, neste período foram os Portugueses quem mais adquiriu ou arrendou a casa, 82,3%. Entre os investidores estrangeiros, são os Brasileiros quem continuam a negociar mais em imobiliário, 576 transações que representam 5,4% do peso total. Seguiram Chineses e Franceses, 1,3% e 1,2%, respetivamente.

“A realidade que hoje vivemos é notoriamente diferente da perspetivada no final de 2019, mas à medida que a situação evoluiu a RE/MAX foi capaz de antecipar um conjunto de procedimentos e linhas de ação adaptadas à conjuntura. Após decretado o Estado de Emergência, a segunda metade de março, em contraste com a primeira, representou uma quebra nos indicadores económicos que registávamos pré-pandemia. O mercado abrandou, é um facto inegável, contudo a RE/MAX manteve-se sempre proativa e resiliente e reforçou a aposta em fatores vitais para a atividade: a tecnologia, um uso mais acentuado de canais digitais nas vendas de imóveis e a formação contínua. “, refere Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX.

Com a função de ser o primeiro ponto de contacto com a sua oferta, a página da RE/MAX Portugal atingiu entre a data em foi promulgado o Estado de Emergência Nacional, até aquela em que culminou a segunda fase de desconfinamento, 5,3 milhões de visitas que se traduziram em mais de 73 mil contactos através da plataforma.

Neste período, a imobiliária líder de mercado contabilizou a abertura de 13 novas agências, tendo recrutado para a sua rede mais 1.204 novos consultores, um número que reflete a evolução e o peso do processo de recrutamento durante esta fase.

Sendo a formação nos dois primeiros anos obrigatória para cada um dos novos agentes recrutados, fornecendo-lhes todas as ferramentas necessárias para progressão no mercado, só neste período, início do Estado de Emergência, até à final da segunda fase de desconfinamento, a RE/MAX Portugal prestou 92 formações aos seus profissionais, que abrangeu um total de 4.104 formandos.

Tem interesse em abrir um franchising REMAX? Consulte as condições da marca.